segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Livro: Stephen King - Coração Assombrado

Eu confesso que sou uma fã bem preguiçosa. Admiro muito a obra do ídolo mas não sou muito dada a conhecer sobre todos os aspectos de sua vida pessoal. Sei lá, acho que consigo separar essa coisa da obra e do autor como pessoa. Só ano passado eu soube que o Brandon era casado e já tinha filhos, pra vocês terem noção. Digamos que se todo fã fosse como eu, os paparazzis hoje estariam extintos. Stalkear definitivamente não é a minha praia... ~preguiça~

Mas tenho descoberto esse mundo de saber mais sobre sua história, sua trajetória e suas influências e comecei pelo Stephen King. Eu sou fã do Steve desde a época da adolescência, quando passei a ter contato primeiro com o tanto de filmes que foram produzidos baseados em suas obras e depois através dos livros, claro. E isso só foi crescendo ao longo do tempo, hoje posso dizer que o amo de paixão. Coisa que só quem tem um ídolo pode entender, não tem explicação. Eu mesma, que não sou muito dada a arrebatamentos, estranho essa coisa, de você amar alguém sem o conhecer...então nem vou perder tempo tentando me explicar.

E depois de ter lido esse livro, não me decepcionei NADA com ele. Hoje acho que posso dizer com um pouco mais de convicção que admiro de verdade a pessoa do Stephen King. A história dele é linda, é bem o tipo de história que me emociona e me toca. Vindo de alguém que eu já admirava quase de graça, como não amar?

Gostei muito da forma como a autora abordou todos os aspectos da vida dele, observando de perto toda a sua obra e suas influências. Uma vez eu comecei a ler uma biografia do Oscar Wilde, daquelas edições de bolso da L&PM e foi horrível, abandonei! Super maçante, perdendo tempo em detalhes insignificantes, não consegui seguir adiante. D: Justo do Oscar, aff. Então eu estava meio receosa, achando que biografias todas deviam ser chatas mas não. Stephen King - Coração Assombrado por Lisa Rogak, isso sim que é biografia! Mesmo que você não admire o autor, aconselho a leitura porque não é nem pela pessoa, é pela história de vida dele, uma grande lição, grande inspiração. Fiquei muito feliz em conhecer bem melhor esse cara foda! <3

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Bora plantar uma árvore?


adesiva.me

Foi no blog da Mariana que fiquei sabendo de um projeto super fofo: o Adesivo Verde, Plante Árvores! É uma campanha de conscientização sobre a importância do reflorestamento nesses tempos de consumo excessivo. E funciona de um jeito MUITO bacana: a cada post escrito propagando o projeto, uma árvore é plantada no Brasil, visando atingir o número de 100 árvores até o final do ano.

Eu não poderia ficar de fora e com uma atitude tão simples, saber que algo de bom vai sair daqui. É só um post no blog mas uma contribuição enorme pro meio ambiente. Por isso convido cada blogueiro que passar por aqui a aderir à campanha e fazer sua pequena parte, bora plantar uma árvore?

Se você quiser participar é só criar um post em seu blog, mais informações aqui e enviar o link da postagem para adesivoverde@adesiva.me e pronto, uma plantinha será cultivada através da sua contribuição. Amor, né? Vam participar!

A campanha vem da uma parceria da Adesiva.me com o SOS Mata Atlântica.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Desafio 52 Semanas - Semana 1: Coisas que me fazem ficar feliz

Aos poucos fui vendo alguns blogs que acompanho aderindo a esse desafio e pela facilidade e fofura, resolvi fazer também. A cada semana, ao longo das 52 semanas citadas, vou listar 5 itens do tema correspondente. O projeto original é da Pri.

Imagem de fundo by Mina7

Semana 1: Coisas que me fazem ficar feliz
1. Chuva
Não adianta, podem reclamar o quanto for mas mesmo estando na rua, eu amo chuva! Amo o clima, amo as gotinhas caindo no meu rosto, amo amo amo! <3 2. Terminar de ler um livro
Mais do que começar. Saber que consegui terminar mais um livro, que diminuí mais um pouquinho minha gigantesca lista de livros pra ler...fico feliz.

3. Cheirar, abraçar, apertar minhas cachorras
A alegria da casa são essas coisinhas peludas! O cheiro delas, o toque, malinar até não poder mais! Não tem como não amar.

4. Ir ao cinema
Uma certa ansiedade pra entrar logo na sala, aquele escurinho, um friozinho gostoso, com pipoca e suco (aquelas), pra assistir um filme bacana, ai que coisa gostosa!

5. Conhecer um lugar novo
E gostar, claro! Eu não sou muito de sair, né? Então quando saio é sempre bom saber de uma novidade boa, de um lugar aconchegante, gostoso, que me faça ter vontade de voltar. É muito bom conhecer um lugar novo e agradável.

Perguntas:
Semana 1: Coisas que me fazem ficar feliz:
Semana 2: Eu nunca...
Semana 3: Coisas pra se fazer no calor:
Semana 4: Minhas citações preferidas são: (trechos de livros, de músicas, frases de autores, etc)
Semana 5: Fazem parte da minha wishlist:
Semana 6: Os super poderes que eu gostaria de ter se fosse um super herói seriam:
Semana 7: Eu sempre...
Semana 8: Os melhores filmes infantis que já assisti foram:
Semana 9: Pessoas que eu gostaria de conhecer / ter conhecido:
Semana 10: Minhas comidas preferidas são:
Semana 11: Meus brinquedos preferidos na infância eram:
Semana 12: Coisas pra se fazer no frio:
Semana 13: Fico sem graça quando...
Semana 14: Meus sites preferidos na internet:
Semana 15: O que há de pior no mundo virtual?
Semana 16: Isso, pra mim, não é diversão:
Semana 17: Personagens cuja vida eu gostaria de viver por um dia: (filmes, livros, seriados, etc)
Semana 18: Sinto saudades...
Semana 19: Meus seriados preferidos:
Semana 20: Fico de mau humor quando...
Semana 21: Meus piores defeitos:
Semana 22: Na minha geladeira, tem que ter:
Semana 23: Coisas que me incomodam no mundo contemporâneo:
Semana 24: Casais preferidos (filmes, seriados, livros, etc)
Semana 25: Tenho aflição de...
Semana 26: Se eu pudesse trocar de profissão, eu seria...
Semana 27: Coisas legais pra se fazer nas férias:
Semana 28: Minhas maiores "neuras" e manias são:
Semana 29: Filmes que me falam ao coração:
Semana 30: Fico impaciente com pessoas que...
Semana 31: Quando não tenho nada pra fazer, gosto de...
Semana 32: Ainda quero aprender:
Semana 33: Tenho medo de...
Semana 34: Livros que eu acho que todo mundo deveria ler:
Semana 35: Minhas piores compras foram:
Semana 36: Morro de preguiça de...
Semana 37: O que, de melhor, o mundo virtual te trouxe/traz?
Semana 38: Desculpe, mas eu acho brega:
Semana 39: Minhas melhores qualidades:
Semana 40: Meus "cheiros" preferidos são:
Semana 41: As coisas mais difíceis num relacionamento amoroso são:
Semana 42: Quer acertar no meu presente? Então me dê...
Semana 43: Músicas que eu não canso de ouvir:
Semana 44: Meus vilões preferidos são:
Semana 45: Lembra a minha adolescência:
Semana 46: Parece que todo mundo sabe ___________, menos eu:
Semana 47: Quando estou apaixonado(a) eu...
Semana 48: Nunca tive coragem de...
Semana 49: Lugares no mundo que eu gostaria de conhecer:
Semana 50: Pessoas que eu admiro:
Semana 51: Coisas que me marcaram neste ano que está acabando:
Semana 52: No ano que vem eu quero:

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Livro: Como a Geração Sexo-Drogas-e-Rock'n'roll Salvou Hollywood

Desde criança eu gosto de assistir filmes, sou cria dos anos 80, em que a gente passava a maior parte do tempo na frente da tv. Sempre tive uma no meu quarto, então era difícil não ser seduzida por aquela magia. Com isso aprendi a amar histórias específicas e com o tempo, estender esse amor aos que eu acreditava serem os grandes responsáveis pela obra: os diretores. Foi uma tempo em que eu assistia os filmes sem conhecer muito sobre os atores ou diretores mas conforme fui crescendo, fui sendo apresentada aos realizadores, bem no momento em que eles se tornaram tão famosos quanto os próprios atores.

Brian De Palma, Spielberg e Scorsese

Faye Dunaway e Warren Beatty em Bonnie e Clyde

Nem sabia eu que isso era resultado da Nova Hollywood, uma turma que quis tomar para si a responsabilidade de fazer filmes baseados em suas maiores aspirações, deixar suas assinaturas nas histórias. Quem aí não é capaz de dizer se um filme é um filme do Tim Burton? E do Wes Anderson? Do Woody Allen? Sem a Nova Hollywood talvez isso nem seria possível hoje. Os estúdios não controlavam mais todas as etapas da realização dos filmes, em que contratavam diretores e equipe conforme seus desejos. É exatamente desse momento que trata Como a Geração Sexo-Drogas-e-Rock'n'roll Salvou Hollywood. O fim da Velha Hollywood e o começo da Nova. E até ler o livro, eu continuava na ignorância e nem sabia de nada das coisas que aconteceram nesse período tão importante pra indústria do cinema. Fiquei chateada por ter ficado tanto tempo ignorancia mas ao mesmo tempo feliz porque a minha inocência foi resguardada também por mais tempo. E talvez a maturidade tenha me feito exergar tudo com uma aceitação (não sei se é bem esse o termo) melhor.

Robert De Niro e Martin Scorsese durante Taxi Driver

É que lendo o livro você vê sendo desconstruida toda e qualquer ilusão que se possa ter com diretores tidos como muito queridos, do escalão de Spierlberg, Scorsese, George Lucas, Francis Ford Coppolla. Eu não gosto de endeusar pessoas famosas, por mais que me pareça irresistível fazer isso com pessoas como Brandon Flowers ou Stephen King ou mesmo Oscar Wilde, que com certeza seriam as pessoas pela qual eu cometeria esse erro. Mas sempre fico pensando que eles não devem ser muito como eu imagino que sejam...então fiquei meio assustada sim em saber das coisas que rolaram (rolam?) por detrás das câmeras, de toda a fogueira da vaidade que impulsionou esses diretores a se tornarem quase deuses (alguns acreditaram de verdade que o eram), e que também foi responsável por sua queda. Por onde anda o Coppola, né? Preciso dizer que em muitos momentos da leitura, meu coração foi jogado, pisoteado e quebrado. Lembro que uns dois anos atrás, assistindo a cerimônia do Oscar na tv, vi o Scorsese, com aquela cara fofinha e até cheguei a tuitar que ele tem cara de vô legal...daí foi meio difícil ler que ele quase morreu, devido às drogas. Que seu ego elevado era (vai saber se ainda é) a maior característica de sua personalidade. Que eu não teria os mesmos pensamentos bonitos em relação a ele, vendo sua figura, que já tive um dia.

O louco Dennis Hopper

Filmagens de Tubarão

Não crio ilusões com pessoas ricas/famosas, sempre digo que em algum momento, mesmo sem querer, elas tiveram que pisar em alguém, que alguém perdeu muito para elas poderem ganhar mais. Esse é o mundo capitalista em que vivemos, por mais corretos que tentemos ser. Mas curiosamente parece que continuo caindo nessa armadilha. Então para não me ver completamente destroçada por tantas revelações cruas, presentes no livro, tive que me voltar para esse pensamento: de que esses diretores tinham que fazer as coisas que fizeram para poder nos presentear com verdadeiras obras primas da telona. Quem não fez, ficou pra trás, nem apareceu. Os que ficaram foram os que se submeteram a qualquer coisa para realizar seus sonhos. Difícil, muitas vezes intragável, mas é isso aí.

Linda Blair e o diretor William Friedkin em O Exorcista

Marlon Brando em O Poderoso Chefão

Alguém pode achar que eu odiei a leitura, por conta de tanto absurdo mas não, foi bem o contrário. Amei! Foi um dos melhores livros que já li. Me abriu os olhos, me contou a verdade, em muitos momentos parecendo mais uma obra de ficção mesmo...e apesar de desconstruir muitos mitos, foi maravilhoso percorrer esse caminho, perceber que todos somos imperfeitos e ainda assim, somos capazes de deixar um legado, algo de bom pro mundo. Super indico a leitura, entrou pra minha lista de favoritos fácil fácil. Existe um documentário do livro, encontrei pra baixar mas está sem legenda em português...fuén! Ansiosa pra assistir.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Filmes amorzinho


Acho que desde '500 Dias com Ela', vimos surgir vários filmes que falam de amor mas não podem bem ser encaixados no estilo romântico. Esses filmes em que não existe o 'e foram felizes para sempre'. Ou quando existe, o casal precisou passar por poucas e boas, e a relação acabou mudando de alguma forma com isso.

Eu confesso que gosto desse tipo, desde o próprio '500 Dias...'. Sempre gostei da verdade, prefiro mil vezes que uma mentira florida. E convenhamos, qualquer pessoa sabe que relações amorosas são assim mesmo, você não imagina, por mais que queira, o que pode vir a acontecer. De repente tudo pode simplesmente desandar. Daí que assisti uns filmes bem legais com essa temática (nem todos infelizes, porém) ao longo do tempo e vim mostrar pra vocês, porque merecem ser assistidos. Bora lá?

Save The Date
Sinopse: Após rejeitar o repentino pedido de casamento de Kevin (Geoffrey Arend) e romper com ele, Sarah (Lizzy Caplan) começa a confrontar os próprios defeitos e vê-se novamente envolvida com Jonathan (Mark Webber). Enquanto isso, sua irmã Beth (Alison Brie) vai se casar e está totalmente imersa nos preparativos da cerimônia. Tem Lizzy Caplan, precisa dizer mais alguma coisa?

Celeste e Jesse Para Sempre (Celeste e Jesse Forever)
Sinopse: Celeste (Rashida Jones) e Jesse (Andy Samberg) se conheceram no ensino médio, se casaram jovens e estão cada vez mais distantes. Enquanto navegam em meio às mudanças turbulentas em suas vidas e em seus corações, os dois aprendem que a fim de amar alguém de verdade, talvez seja preciso abrir mão deles. Achei a ideia desse bem interessante, um casal que está separado mas que não se desgruda, vivem pra cima e pra baixo juntos. Uma loucura.

Paris-Manhattan
Sinopse: Alice Taglioni é uma farmacêutica obcecada pelos filmes de Allen: é cercada por imagens dele, sabe falas decoradas de seus filmes, prescreve filmes do cineasta como remédio para curar alguns males. Mas ela está solteira em seus trinta e poucos anos. A família de Alice quer que ela cure a sua obsessão através de um possível namoro com um rapaz (Patrick Bruel). Eu esperava mais de Paris-Manhattan mas ainda assim achei o filme amor.

Entre o Amor e a Paixão (Take This Waltz)
Sinopse: Margot (Michelle Williams) é uma mulher carente e neurótica, porém bem-casada com um celebrado autor de livros (Seth Rogen) de culinária. Tudo se complica quando ela desenvolve uma intensa e instantânea química por um misterioso e belo vizinho (Luke Kirby). Provavelmente o meu preferido, a Michelle Williams tá divina, omg! Esse filme é lindo demais, morro sempre que assisto. :~ Se quiserem ver ela indo bem em outro papel complicado AND equivalente, ainda indico Namorados para Sempre. :X

Ruby Sparks
Sinopse: Calvin (Paul Dano) é um jovem e talentoso romancista que passa por um "bloqueio criativo" devido à solidão de seus dias e acaba decidindo criar uma musa imaginária que seja capaz de amá-lo. A trama se complica quando, misteriosamente, sua criação, Ruby (Zoe Kazan), ganha vida. Ruby Sparks acho que é hours concours, sabe, filme genial que através de metáforas, analisa bem as relações atuais. Perfeito!

Bônus:
Românticos Anônimos (Les Émotifs Anonymes)
Sinopse: O que ocorre quando um homem altamente emocional conhece uma mulher altamente emocional? Eles se apaixonam, e é isso que ocorre com Jean-René (Benoît Poelvoorde) e Angélique (Isabelle Carré) que compartilham a mesma desvantagem. Mas serem patologicamente tímidos não tornar as coisas fáceis para eles. Então, se eles vão conseguir ficar juntos, unir suas solidões e viver felizes para sempre é uma questão de adivinhação. Meu segundo preferido, é muito lindoooooo! Sério, quando o filme acabou, soltei um sorriso daqueles, a história é MUITO cativante! <333

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Just Another Girl - The Killers


10 anos de The Killers. E eles fazem parte de quem eu sou. Nada melhor pra comemorar do que com um álbum comemorativo ~dãããr~, com duas músicas inéditas, né? <333 A primeira ~Shot At The Night~ foi lançada a um tempinho e ontem vazou a outra, Just Another Girl, e não sei dizer de qual gostei mais, um sintoma comum da síndrome do fã enlouquecido. :} Escutem e sejam felizes comigo.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Livro e filme: Alta Fidelidade


Eu tava desejando ler esse livro já tem um bom tempo mas ele sempre esteve envolvido em uma aura de mistério, não sei se por falta de atenção por parte da editora, mas ele vivia fora de estoque aonde quer que você procurasse. Pra piorar, TODO mundo falava super bem dele, muitos o elegendo até como melhor livro que já leram. Quando um livro é difícil assim eu me dou o direito de procurar sua versão em ebook pela internetz, piratinha mesmo. Nem assim, viu, não tinha em lugar nenhum. Já tava achando que era lenda, né? Quanta dificuldade!

Mas esse ano, não mais que de repente ele foi relançado, não sei se pela mesma ou nova editora, não sei, só sei que saiu com uma capa linda, e eu precisava garantir o meu. Como as coisas por aqui andam meio no vermelho, não ando podendo comprar livros (nem nada mais #mimimi) então consegui encontrar o ebook por aí e já estava felicíssima que enfim iria ler o livro. Daí chegou meu aniversário, ele entrou sorrateiramente na minha wishlist e meu irmão lindo, maravilhoso AND cheiroso me deu! Uuuuuuh!

Nem lembro se abandonei o livro que estava lendo (ando numa vibe preguiçosa pra leitura que socorro! Esse ano foi um desastre D:) ou se terminei voando e parti pra esse mas logo comecei a ler. E foi incrível, como todo mundo já havia me dito que seria. Primeiro que rolou toda uma identificação com o Rob. Na casa dos 30, fracassado, dono de uma loja de discos usados. Eu sou tão mais fracassada que ele profissionalmente que nem uma loja fuleira tenho, enfim. E o modo como ele costuma se colocar de vítima, com aquela típica rebeldia, bem a cara da nossa geração, com essa adolescência que não acaba nunca. Tem vários defeitos, é mesmo um babaca, sabe? Infantil, egoísta e recalcado.

Grifo livro sim! #medeixa

Daí você jura que vai detestar o personagem, mas não. Sabe carisma? Ele tem! E no meu caso, porque além da identificação com um monte de bagagem de m#rda (desculpem o palavreado), é porque apesar de ele ser tudo de ruim, ele tem completa noção de que é um otário. Ele diz que vai agir de um modo, aquele polido, que todo mundo espera e que seria de bom tom agir, ele vai lá e faz o contrário. Quem nunca? Mas o mais legal dele é que ele é capaz de se analisar fria e criticamente e saber que só faz besteira. Ele te ganha, por completo, por mais impossível que possa parecer. Tem como não amar um livro com um personagem desse? Te digo que não e se você ainda não leu, por favor, meu bem, faça um favor a si mesmo e vai AGORA providenciar a leitura.

Claro que depois de ler o livro eu fiquei bem empolgada pra ver o filme mas da primeira vez que tentei, não consegui. Ainda tava muito envolvida com a leitura, não queria saber de ver o filme, com medo de estragar tudo de bom que eu tinha sentido com o livro...mas tomei coragem e assisti e OH! Adorei! Alguns personagens não condiziam muito com o que eu tinha imaginado (não o John Cusack, que estava perfeito no papel principal! <3) mas nada que chegasse a atrapalhar o gosto de assistir a história já conhecida. Ainda preciso dizer que vocês tem que assistir também?





Image by Sky Online